sábado, novembro 04, 2006

123 - a sopa da perda

Distrito de Santarém
Outubro de 2006

Nacional 118, uma estrada percorrida com a dor de quem parte, pela margem esquerda, sempre.
Setas que nos desorientam, se for para Coruche ou Évora vire à esquerda e à direita. Pode parecer disparate mas se nos lembrarmos que a Terra é redonda faz sentido... poderá demorar mais tempo mas chegaremos lá, o prazer do caminho não tanto da chegada.
Ampliando a imagem sabemos que estamos em Almeirim, a terra da sopa (maldita sopa) da pedra, vemos um gajo que não é ribatejano, como é que sei? ora... pela camisolita cor-de-rosa!

11 Comments:

Blogger pedro oliveira said...

Um ribatejano (um verdadeiro ribatejano) que fosse para Coruche ou Évora viraria à esquerda ou à direita?

sábado, novembro 04, 2006 10:15:00 da manhã  
Anonymous gaia said...

Estamos a iniciar a busca sobre a identidade ribatejana?
Provavelmente, viraria à esquerda, para usufruir do verde, mas, como não passo por Almeirim há tanto tempo, não sei se não estarei a fazer confusão.
Quanto ao prazer da chegada, que retomas neste post,deixa-me dizer-te que não será menos prazeroso que o do caminho. Ao chegar, levas contigo, o prazer do caminho.
"Ir directo ao assunto", talvez seja desejo dos ansiosos, mas tal, não invalida o prazer da chegada. E, caminhar, sem desejo de chegar,para depois retomar o caminho, é frustrante. se me disseres que a chegada não é o fim em si, ok,concordo.
Que grande confusão.

sábado, novembro 04, 2006 1:39:00 da tarde  
Blogger pedro oliveira said...

«Quanto ao prazer da chegada, que retomas neste post,deixa-me dizer-te que não será menos prazeroso que o do caminho».

Relê, por favor...
Viste?
Refiro o prazer do caminho, é esse o único prazer dum caminhante, caminhar...
A chegada é um ponto final, eu retiro prazer «dos entretantos», das reticências...

sábado, novembro 04, 2006 5:07:00 da tarde  
Anonymous gaia said...

Reli.
Vi.
Percebi.
Ok, retira prazer, donde quiseres............

domingo, novembro 05, 2006 12:12:00 da manhã  
Blogger pedro oliveira said...

Não sejas má para mim.
O caminho pela esquerda é o mais difícil, o caminho da charneca. Fácil o da direita, facilmente, sujeito a inundações (imundações como dizem os autarcas das zonas ribeirinhas, sempre prontos a achar as inundações imundas, um pretexto para subsídios).
Sei que não sou um gajo muito normal mas quando vejo este «folclore» das televisões e dos subsídios e tal... questiono-me:
e que tal um seguro?

Quanto ao caminho é pela esquerda (não pelo verde) reparem nas outras setas.

domingo, novembro 05, 2006 1:00:00 da manhã  
Anonymous gaia said...

Fiquei baralhada com tanta seta e tanto caminho... eu, vivo numa terra sem inundações ( mas com muita água) e só ando de avião.

domingo, novembro 05, 2006 1:17:00 da manhã  
Blogger SP said...

Não sei, mas ia a cavalo, de certeza.

sexta-feira, novembro 10, 2006 6:17:00 da tarde  
Anonymous pedro oliveira said...

A resposta certa é:
- pela esquerda
Na direcção da adega cooperativa, obviamente.
A sugestação de sp parece-me aconselhável, a cavalo há menos possibilidades de se bufar para o balão.

sábado, novembro 11, 2006 11:14:00 da manhã  
Anonymous pedro oliveira said...

sugestão

domingo, novembro 12, 2006 12:30:00 da tarde  
Blogger enxofre said...

qual é o aparelho com que tiras as fotos? é sempre o mesmo?

quarta-feira, novembro 15, 2006 8:51:00 da manhã  
Blogger pedro oliveira said...

Sim. É uma Olympus Superzoom 80G (não é digital). Comprei-a por 40 euros em segunda mão, antes tinha utilizado outra Olympus dum modelo anterior.
A lomo, já coloquei num dos «posts» uma fotografia dela.

quarta-feira, novembro 15, 2006 10:19:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

desde 2006.05.24
Site Counters